A música como refúgio e o silêncio como companheiro.

.

Santo Antônio de Lisboa

Santo Antônio de Lisboa,
Abençoada freguesia,
Recanto calmo açoriano
Do divino e do profano!
Onde eu rogo um pão por Deus
E dos Reis ouço a cantoria
Entre Sambaquis e açucenas
Boi de mamão contracena
Com espíritos carijós
Avante, Santo Antônio,
Do Carnaval, pesca e arte,
De um porto jaz aduaneiro.
Repousa o tempo companheiro
Lá, eu encontro a paz.

(Composição de 05/08/2011, para show na Cantina Sangiovese).
Clique aqui para acessar a partitura.